Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Importância da padronização dos nomes de autores nos periódicos para maior visibilidade

Importância da padronização dos nomes de autores nos periódicos para maior visibilidade

por Elisabete Angelon, Eliane Colepicolo — publicado 20/09/2016 10h30, última modificação 28/09/2016 10h41
A padronização de autores é relevante tanto para periódicos como para seus autores uma vez que contribui para aprimorar o impacto das publicações científicas

Por que padronizar nomes?

A padronização de nomes refere-se a autores ou responsáveis por uma publicação (ex. coordenador, organizador, editor etc.), que podem ser pessoas físicas ou jurídicas. Padronizar nomes é escolher de um conjunto de nomes atribuídos à mesma pessoa ou instituição aquele que será o padrão, deixando-se as outras formas do nome como alternativas não utilizadas, mas de alguma forma linkadas ao nome padrão.

A padronização de nomes de autores dos artigos de um periódico é uma ação essencial para a visibilidade tanto de um periódico quanto dos próprios autores. Essa importância se amplia com o uso das tecnologias de informação que possibilitam o rastreamento e compartilhamento de dados, assim como a integração de bases de dados em plataformas mais robustas.

Para os autores é importante a padronização de nome, pois assim eles poderão  monitorar de forma mais consistente as citações de suas publicações, além de ter todos os seus artigos publicados agrupados em diretórios de pesquisadores.

Ambiguidades de nomes

Os problemas da falta de padronização de nomes ocorrem por várias razões, que levam a ambiguidades e conflitos, dificultando a localização de pessoas. Algumas dessas ambiguidades serão apresentadas a seguir.

Abreviatura do primeiro nome

Pode-se escolher usar não o primeiro nome mas o segundo. Exemplo:

José Fabio Pereira Lopes Gutierrez

  • Gutierrez, Fabio Pereira Lopes
Abreviatura de nomes e sobrenomes do meio

Um autor que tenha um nome completo com vários sobrenomes pode ter problemas com abreviatura dos nomes e/ou sobrenomes do meio, por isso é importante que defina como essas abreviações serão feitas.

Por exemplo, um pesquisador fictício chamado José Fábio Pereira Lopes Gutierrez poderia escolher várias formas de abreviar seus sobrenomes do meio:

  • Gutierrez, José F. Pereira Lopes

  • Gutierrez, José Fábio Pereira L.

  • Gutierrez, José Fábio P. L..

  • Gutierrez, José F. P. L.

Escolha do sobrenome principal

Nesse caso, ele prefere um sobrenome do meio como principal

José Fabio Pereira Lopes Gutierrez

  • Pereira Lopes Gutierrez, José Fabio

  • Lopes Gutierrez, José Fabio Pereira

Ortônimo e Heterônimo

Para assinar seus textos, o autor pode adotar nomes de personagens fictícios  atribuindo-lhes inclusive biografias e personalidades imaginárias, é o que chamamos de heterônimos.

É o exemplo do escritor português Fernando Pessoa que assinou parte de suas obras com os heterônimos: Alberto Caieiro, Álvaro de Campos, Ricardo Reis.

Fernando Pessoa é o nome civil completo do autor, ou seja, o seu ortônimo.

Embora esses casos não sejam comuns nas áreas científica e tecnológica, mas sim nas Letras e Artes, os autores que tenham heterônimos  pode optar pelo nome padrão que vai utilizar em uma revista, com alguma referência que remeta ao ortônimo.

Nome de solteira ou casada

Algumas autoras têm publicações com diferentes nomes como o de solteira, casada, divorciada. É o caso de Marta Suplicy, cujo nome de registro de nascimento é Marta Teresa Smith de Vasconcellos. Ao se casar adotou o nome de Marta Teresa Suplicy e, assinou suas obras e assumiu-se como figura pública sob o nome de Marta Suplicy. Ao divorciar-se em 2001, a autora manteve o sobrenome com o qual se tornou conhecida.

Nesses casos, também é importante que seja escolhido um nome padrão para autoria com referência aos outros nomes não utilizados.

Homônimo

Pessoas que têm nomes idênticos, chamadas de homônimos, podem escolher algum complemento para distinguir-se de outros.

Segundo a Revista Pesquisa FAPESP (2015), 85% da população chinesa compartilha um conjunto de pouco mais de uma centena de sobrenomes e a crescente participação da China na ciência internacional tornou ainda mais desafiadora a tarefa de identificar autores homônimos.

Pseudônimo

O autor pode adotar um pseudônimo para assinar suas obras, como é o caso do escritor chileno Pablo Neruda, cujo nome original é Ricardo Neftalí Reyes Basoalto, o qual  se apresenta sob diversas formas (Figura 1).  

Figura 1: Exemplo de busca no catálogo de autoridades da PUCPR


O sistema da PUCPR remete ao nome padrão utilizado pelo autor para o registro de suas obras. Logo, Pablo Neruda é o nome escolhido como padrão e Ricardo Neftalí Reyes Basoalto é a forma alternativa do nome que é linkada ao padrão escolhido.

Como padronizar nomes?

É importante recomendar que os autores registrem-se em diretórios de pesquisadores para padronização de seus nomes, apresentando a forma escolhida e as formas alternativas, de modo que os mecanismos de busca sejam capazes de identificar a relação o entre o nome padrão e os alternativos para uma mesma pessoa. Alguns desses diretórios são o ResearcherID  e ORCID e até mesmo o Currículo Lattes pode funcionar como instrumento de padronização de nomes.

O próprio corpo editorial de um periódico pode criar regras relacionadas à padronização de nomes no momento da submissão de artigos por seus autores, de tal forma que, pelo menos, dentro do periódico, um padrão é mantido. No entanto, esta atitude isolada pode não ser benéfica quando se trata da integração do periódico em bases de dados, pois um autor que tenha publicado em muitos periódicos diferentes precisa ter o mesmo nome em todas as publicações, de modo que seus indicadores individuais em diversos periódicos possibilitem ampliar a visibilidade de um periódico específico no qual tenha publicado. Assim, é mais interessante que os periódicos sigam padrões de nomes de autores aceitos internacionalmente em vez de criar os seus próprios.

A seguir, são apresentados alguns diretórios de pesquisadores que contribuem para a identificação de autor e consequentemente aprimoram o fator de impacto de sua pesquisas.

Diretórios de Pesquisadores

ResearcherID

O ResearcherID é uma ferramenta da editora Thomson Reuters que possibilita  padronizar a identificação de autores em âmbito internacional.

Para  encontrar pesquisadores que tenham registro no ResearcherID basta acessar: http://www.researcherid.com/ViewProfileSearch.action (Figura 2) e digitar o nome (First/Given Name) ou sobrenome. Marcando a opção  “also search other names" (outros nomes)  para recuperar outros nomes ou apelidos do mesmo autor. Pode-se também fazer a busca pelo número de registro no ResearcherID do pesquisador.

Figura 2: ResearcherID busca por nome de autor 

Busca por nome de autor no ResearcherID


Para obter registro no ResearcherID o autor deve acessar: www.researcherid.com, clicando em “Join Now It’s Free(Inscreva-se agora É gratuito) (Figura 3).

Figura 3: ResearcherID Join Now It’s Free

ResearcherID Join Now It’s Free

Em seguida, o autor poderá fazer seu cadastro (Figura 4), preenchendo os campos necessários.

Figura 4: Registro no ResearcherID

Registro no ResearcherID

Registrando-se no ResearcherID, o autor terá vantagens, tais como:

  • evitar erros de identificação de autoria,

  • possibilitar que outros o encontrem com mais facilidade e utilizem a forma do nome padrão escolhido pelo próprio autor,

  • acompanhar as citações de seus trabalhos,

  • poder construir e gerenciar sua lista de publicações,

  • acompanhar a evolução de seu Índice-H,

  • visualizar outros autores e identificar potenciais colaboradores.

ORCID

O Open Reseacher and Contributor Identifier (ORCID iD) é um recurso pela ORCID, Inc., que é uma organização internacional sem fins lucrativos que atua para que todos que participam de pesquisas, bolsas de estudo e inovações sejam identificados de forma única. A comunidade ORCID inclui pesquisadores individuais, universidades, laboratórios nacionais, organizações de pesquisa comercial, financiadores de pesquisa, editores, agências de ciências nacionais, repositórios de dados e sociedades profissionais internacionais, lembrando que indivíduos podem usar os serviços do ORCID gratuitamente.

Para pesquisar um registro no ORCID (https://orcid.org/orcid-search/search) (Figura 5), deve-se fazer a busca pelo nome ou número de registro no ORCID ID. Marcando o campo “Também procurar outros nomes” serão apresentados outros nomes relacionados ao autor.

Figura 5: ORCID Busca por autor

ORCID Busca por autor

O autor pode fazer seu registro no ORCID (https://orcid.org/register) (Figura 6), clicando na guia “registre-se para um orcid” e preenchendo os campos necessários.

Figura 6: ORCID registro

Registro para um ORCID iD


O ORCID iD é um código interoperável com outros sistemas ID, que possibilita fazer importação/exportação de dados. Após fazer o cadastro, o autor pode importar toda a sua produção manualmente ou automaticamente. Atualmente, já existem mais de 2,4 milhões de registros na base e a tendência é que um número cada vez maior de indexadores disponibilizem seus registros para serem importados pelo ORCID.

Scopus Author ID

O Scopus Author Identifier (Author ID) distingue um autor de outros atribuindo a cada um deles um número único de identificação. Com a incorporação dos dados do ORCID por meio do processo “Author Profiling”, a SCOPUS aprimorou a precisão dos perfis dos autores permitindo a importação de seus trabalhos, além de possibilitar o agrupamento de todos os documentos sob um identificador único.

Para registrar o Author ID, é necessário registrar-se no ORCID e em seguida acessar a base Scopus por meio do Portal de Periódicos CAPES (na rede UFSCar ou por acesso proxy). Na guia de busca por autor (Author search), preencher o campo  “ID” com o número do ORCID do autor e clicar no botão da lupa (Figura 7).

Figura 7: Scopus-ORCID: busca por número do ORCID

 Scopus-ORCID: busca por número do ORCID

Quando apresentados os dados pessoais do autor, clicar em “Adicionar ao ORCID” (Add to ORCID) (Figura 8).

Figura 8: Scopus-ORCID: adicionar o ORCID ao Scopus

Figura 8: Scopus-ORCID: adicionar o ORCID ao Scopus

Em seguida, deve-se informar um e-mail e senha (Figura 9).

Figura 9: Scopus-ORCID: informar e-mail e senha

Figura 9: Scopus-ORCID: informar e-mail e senha

 

A próxima tela apresentará o perfil do autor (Figura 10).

Figura 10: Scopus-ORCID: perfil do autor na base

Figura 10: Scopus-ORCID: perfil do autor na base


Em seguida, serão exibidos os artigos publicados pelo autor (Figura 11).

Figura 11: Scopus-ORCID: apresentação dos artigos publicados pelo autor

Figura 11: Scopus-ORCID: apresentação dos artigos publicados pelo autor

A próxima guia apresenta o perfil do autor para checagem (Figura 12).

Figura 12: Scopus-ORCID: checando o perfil do autor

 Figura 13: Scopus-ORCID: checando o perfil do autor

Após a checagem pode-se enviar o identificador da Scopus Author ID (Figura 13).

Figura 13: Scopus-ORCID: enviar identificador Scopus

Por fim, o identificador Scopus é definido.

Currículo Lattes

O Currículo Lattes é uma plataforma mantida pelo CNPq, onde estão cadastrados mais de 130 mil pesquisadores, acadêmicos e profissionais de todo o Brasil. Um dos recursos oferecidos pela plataforma também é que o usuário cadastre todas as formas de seu nome para que seja mais facilmente localizado e tenha suas publicações reunidas, além de identificar um mesmo autor ou pesquisador que possua trabalhos apresentados com diferentes nomes.

Para saber as diferentes formas do nome de um potencial autor, acessar a Plataforma Lattes (http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/busca.do?metodo=apresentar) e inserir parte do nome desejado na busca (Figura 14).

Figura 14: Currículo Lattes busca por nome de autor

Figura 14: Currículo Lattes busca por nome de autor


Ao localizar o autor desejado, entrar no currículo do mesmo e localizar no menu “Dados Gerais”, a opção  “Identificação”. Nesta opção encontra-se a seção "Nome em citações bibliográficas" onde se localizam as formas do nome da pessoa (Figura 15). Em geral a primeira forma apresentada pelo autor é a preferida.

Figura 15: Curriculo Lattes: Nome em Citações Bibliográficas

Figura 15: Curriculo Lattes: Nome em Citações Bibliográficas

 

O autor pode cadastrar-se no Currículo Lattes (http://wwws.cnpq.br/cvlattesweb/pkg_cv_estr.inicio) preenchendo os dados pessoais, os dados da instituição a que o pesquisador é vinculado, sua atuação profissional e em seguida inserir informações sobre sua produção científica.

A exemplo do Currículo Lattes, outros países disponibilizam plataformas com informações sobre seus pesquisadores. A seguir alguns exemplos.

Currículos de Pesquisadores da Argentina

O Sistema de Información de Ciencia y Tecnología Argentino (SICYTAR) mantém atualizados os registros nacionais unificados de cientistas e tecnólogos (http://sicytar.mincyt.gob.ar/buscacvar/#/) (Figura 16).

Figura 16: Busca de Currículos na Argentina

Figura 16: Busca de Currículos na Argentina


Currículos de Pesquisadores da Colômbia

O COLCIENCIAS é a entidade que coordena a política nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação da Colômbia e por meio do CvLAC apresenta os currículos dos pesquisadores colombianos (http://scienti.colciencias.gov.co:8081/cvlac/Login/pre_s_login.do) (Figura 17).

Figura 17: Busca de Currículos na Colômbia


 Busca de Currículos na Colômbia


Currículos de Pesquisadores do Chile

O Portal CONICYT del Investigadores disponibiliza informações curriculares e produção científica dos pesquisadores chilenos (www.portaldelinvestigador.cl) (Figura 18).

Figura 18: Busca de Currículos no Chile

Figura 18: Busca de Currículos no Chile


Currículos de Pesquisadores do Peru

O Consejo Nacionale de Ciencia, Tecnología e Innovación Tecnológica (CONCYTEC) disponibiliza os currículos de pesquisadores do Peru por meio do Directorio Nacional de Investigadores e Innovadores (DINA)  (http://dina.concytec.gob.pe/appDirectorioCTI) (Figura 19).

Figura 19: Busca de Currículos no Peru

Figura 19: Busca de Currículos no Peru


Currículos de Pesquisadores de Potugal

A Plataforma DeGóis® disponibiliza informações curriculares dos pesquisadores portugueses e sua produção científica (http://www.degois.pt) (Figura 20).

Figura 20: Busca de Currículos em Portugal

Figura 20: Busca de Currículos em Portugal

Para mais informações sobre padronização de autores em periódicos leia o artigo "Como obter o Índice-H de um periódico pela base Scopus?”, ou entre em contato com a Comissão do Portal de Periódicos UFSCar pelo e-mail portaldeperiodicos@ufscar.br.

Bibliografia Consultada

BIREME-OPAS-OMS Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde OEA Organização dos Estados Americanos. Rede ScienTI. Disponível em: <http://www.scienti.net/php/level.php?lang=pt&component=17&item=121>. Acesso em: 26 ago 2016.

COLCIENCIAS Departamento Administrativo de Ciencia, Tecnología e Innovación. CvLAC. Bogotá. Disponível em: <http://scienti.colciencias.gov.co:8081/cvlac/Login/pre_s_login.do>. Acesso em: 01 set 2016.

CONCYT Consejo Nacional de Ciencia y Tecnología. Portal de Investigadores. Santiago. Disponível em: <http://www.portaldelinvestigador.cl>. Acesso em: 31 ago 2016.

CONCYTEC Consejo Nacional de Ciencia, Tecnología e Innovación Tecnológica. Directorio Nacional de Investigadores e Innovadores (DINA). Lima. Disponível em: <http://dina.concytec.gob.pe/appDirectorioCTI>. Acesso em: 31 ago 2016.

ELSEVIER. Scopus Author ID. Disponível em: <https://www.scopus.com>. Acesso em: 29 jul 2016.

FCT Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Área Investigador. Disponível em: <https://curriculum.degois.pt/index.jsp?update=true>. Acesso em: 02 set 2016.

GRUPO FERNANDO PESSOA. Afinal, o que é ortônimo e heterônimo? Fernando e suas muitas pessoas: o poeta e os heterônimos. 2012. Disponível em: <http://unipfernandopessoa.blogspot.com/2012/06/afinal-o-que-e-ortonimo-e-heteronimo.html>. Acesso em: 18 ago. 2016.

MARQUES, FABRÍCIO. Revista Pesquisa FAPESP. São Paulo: FAPESP, n. 238, dez. 2015. Mensal. Disponível em: <http://revistapesquisa.fapesp.br/2015/12/15/rg-de-pesquisador>. Acesso em: 09 ago. 2016.

MINISTERIO DE CIENCIA, TECNOLOGIA E INNOVACIÓN PRODUCTIVA. Buscador de CVar. Buenos Aires. Disponível em: <http://sicytar.mincyt.gob.ar/buscacvar/#/>. Acesso em: 01 set 2016.

ORCID, Inc. O que é o ORCID ID. Disponível em: <https://orcid.org/content/about-orcid>. Acesso em: 22 jun 2016.

PLATAFORMA LATTES. Nome em Citações Bibliográficas. Disponível em: <http://lattes.cnpq.br>. Acesso em 01 jul 2016.

PLATAFORMA LATTES. Lattes Histórico. Disponível em: <http://lattes.cnpq.br/web/plataforma-lattes/historico>. Acesso em 29 ago 2016.